عربي English עברית Deutsch Italiano 中文 Español Français Русский Indonesia Português Nederlands हिन्दी 日本の
Knowing Allah
  
  

   

 

o iluminismo e o monoteísmo

 

primeiro objeto da pesquisa: mohammad (deus o abençoe e lhe dê paz) o iluminista gigantesco

 

rudy bart diz: “dentre os representantes do movimento de iluminismo há quem viu no profeta árabe (deus o abençoe e lhe dê paz) os sinais de deus, um legislador sábio, um mensageiro eminente, proferindo a palavra da religião natural e o anunciando.”1

o profeta (deus o abençoe e lhe dê paz), na opinião dos intelectuais europeus que estudaram a sua biografia, é um iluminista gigantesco, um monoteísta extraordinário. viram que mohammad (deus o abençoe e lhe dê paz) portava um livro iluminador que a história não conheceu igual quanto aos preceitos, à eloquência de evidências e ao tratamento dos problemas da humanidade.

se os intelectuais ocidentais deram a característica de iluminador ao profeta (deus o abençoe e lhe dê paz), na realidade, o alcorão sagrado antecipou-se a eles e lhe deu o título. esse título no alcorão interpreta, na maioria das vezes, o monoteísmo, além da ciência, da civilização e da cultura.

deus, exaltado seja, diz: “ó profeta, em verdade, enviamos-te como testemunha, alvissareiro e admoestador! e, como convocador (dos humanos) a deus, com sua anuência, e como uma lâmpada luminosa.” (33:45-46).

 

e diz: “ó adeptos do livro, foi-vos apresentado o nosso mensageiro para mostrar-vos muito do que ocultáveis do livro, e perdoar-vos em muito. já vos chegou de deus uma luz e um livro esclarecedor” (5:15).

“dissipava as trevas, eliminava as más interpretações, iluminava o caminho, com luz calma e orientadora, como a lâmpada luminosa nas trevas. assim era o mensageiro de deus (deus o abençoe e lhe dê paz) e o que ele transmitiu de luz. veio com a visão clara, evidente e iluminada dessa existência e da relação da existência com o criador, e a posição do ser humano quanto à existência e o seu criador, os valores em que toda a existência está baseada, em que está baseada a existência humana, quanto à criação, ao destino, ao objetivo, à intenção, ao caminho e ao meio.”2

quem é mais indicado para afastar a intriga vinculada à sua biografia do que abul kássem (deus o abençoe e lhe dê paz) que transferiu milhões do politeísmo à adoração do senhor do universo, da perdição e da desintegração para a sublimidade e a fé. ele não se beneficiou de seu empenho nem procurou algo que as pessoas que procuram os prazeres mundanos se matam para obtê-lo.”3

 

o orientalista irlandês senhor herbert wale:

 

“seiscentos anos após o surgimento de jesus surgiu mohammad. ele dissipou todas as ilusões e proibiu a adoração aos ídolos. as pessoas o denominavam de “al amin” (o honesto, o confiável) por ser veraz e de confiança. ele orientou os extraviados para a senda reta.”4

após a prática da adoração às pedras, às pessoas, ao fogo, aos animais ter sido a prática prevalecente entre os povos, a adoração a deus, bendito seja, é a adoração prevalecente e de maior expansão. com isso, o profeta (deus o abençoe e lhe dê paz) fez retornar a religião de abraão, de moisés e de jesus, filho de maria (a paz esteja com todos eles) para a vida novamente, depois da adulteração da religião verdadeira (a religião dos profetas) pelas organizações dominantes, que afastaram os povos e os afogaram nas trevas da ignorância.

a importância do profeta (deus o abençoe e lhe dê paz) que se destaca para toda pessoa de visão reside no fato de que ele empunhava uma missão divina esclarecedora cujo título é “não há outra divindade além de deus”, que visa basicamente a reforma da vida humana em geral, libertá-la da escravidão da adoração aos ídolos e do demônio, e transportá-la do barbarismo e idolatria para a civilização iluminada.

o profeta (deus o abençoe e lhe dê paz) trouxe uma legislação que criou uma destacada geração que deu o maior exemplo de genialidade de crença e de pensamento.

isso fez os intelectuais ocidentais olharem para o islam como religião esclarecedora, ou com a expressão de maxim rodnes: “religião racional muito distante das crenças cristãs irracionais. ele conciliou entre a convocação para uma vida moral e as necessidades físicas, sensoriais e vitais na sociedade. em resumo, é a religião muito próxima da religião natural em que a maior parte dos homens do período iluminista acreditava.5

najimo ramoni6 disse: “o islam é a mais importante das religiões condizente com a nossa geração civilizada e com qualquer geração. o islam não separa entre o divino e o secular de forma que a vida se transforma em dois caminhos totalmente distintos. isso representa o resumo da crise moderna do ser humano. converti-me ao islam porque é a religião de todas as classes sociais, de grandes e pequenos, ricos e pobres, a religião dos livres e dos escravos, dos senhores e dos subordinados.7

a respeito disso, o professor de direito inglês mr. wells disse: “toda legislação que não caminha junto à civilização em algum de seus períodos deve ser rejeitada, porque a legislação que não caminha a par e passo com a civilização é um mal para os seus seguidores que os leva para a perdição. a legislação que caminha com a civilização onde quer que caminhe é a legislação islâmica.”8

ele comprova isso, dizendo: “se o ser humano quiser conhecer algo a respeito disso, deve ler o alcorão e o que ele contém de teorias científicas, leis e organizações para integrar a sociedade. é um livro religioso, científico, social, educacional, moral, histórico. muitas de suas organizações e leis são utilizadas na nossa era atual e permanecerá em uso até o dia da ressurreição. será o ser humano capaz de desempenhar um papel em que a lei islâmica não se coaduna com a civilização e o desenvolvimento?”9

a lei islâmica foi a mais importante orientação de deus para o mundo civilizado, de acordo com as palavras de joseph chakht10. ela é totalmente diferente de todos os tipos de legislação ao ponto de termos de estudá-la para podermos avaliar devidamente a extensão completa das questões legislativas. a legislação islâmica é algo incomparável na sua categoria. é um grupo de ordens divinas que organizam a vida do muçulmano em todos os seus âmbitos. abrange sentenças específicas a respeito dos rituais de adoração, , como abrange bases políticas e legislativas.11

débora poter12 explica que o islam introduziu a era verdadeira de iluminismo nos aspectos diversos da vida. ela diz:

“o islam introduziu a era do iluminismo verdadeiro nos campos científicos, culturais e artísticos de forma desconhecida até então e incomparável até hoje em dia. entre os anos 700 e 1400 da era cristã, no tempo em que a europa estava mergulhada na profundeza das trevas da idade média, os cientistas muçulmanos haviam ingressado no método empírico na pesquisa que substituiu o método dialético estéril, que prevalecia entre os gregos. esse período de tempo produziu homens extraordinários... que colaboraram no desenvolvimento da civilização humana e se inspiravam no alcorão sagrado em todas as suas atividades.”13

___________________________

1. rudy bart: “estudos árabes e islâmicos nas universidades alemãs”. pág. 20

2. saied cutb: “fi zalal al quran” (à sombra do alcorão), v. 6, pág. 91.

3. nazmi luka: “mohammad na sua vida particular”, pág. 12.

4. herbert wale: “o mestre mor”, pág. 17.

5. ver chakht e buzurut: “a tradição islâmica”, 1/64-66

6. antigo missionário de ghana, áfrica ocidental, de pais cristãos, recebeu a sua educação em escolas cristãs. aos vinte anos de idade começou sua atividade missionária com entusiasmo. um dia ele conseguiu um livro a respeito do islam que um de seus amigos lhe deu. suas convicções cristãs se abalaram e continuou o caminho de pesquisa a respeito da verdade até o outono de 1963, quando declarou a sua conversão ao islam.

7. ver o livro de ‘arafat kámel al ‘achi, “homens e mulheres que adotaram o islam.”, 9/57-58.

8. ver o livro de hilmat bachir yassin, “a preocupação da sunna profética pelos direitos humanos”, 337.

9. idem

10. josef chakht nasceu em 1902 e foi indicado como professor em várias universidades alemãs (1927-1934), conferencista de estudos islâmicos na universidade de oxford (1948), leeden (1945), columbia (1975-1958). tornou-se famoso pelos estudos da legislação islâmica evidenciando o seu aparecimento e desenvolvimento. entre as suas obras; “a religião do islam” (193), “o nascimento da jurisprudência islâmica” (1950), “resumo da jurisprudência islâmica” (1952).

11. ver chakht e buzurut: “a tradição islâmica”, 3/9.

12. intelectual americana do estado de michigan, jornalista premiada, nasceu em 1954, graduou-se em jornalismo pela universidade de michigan e converteu-se ao islam em 1980.

13. ver o livro de arafat kámel ach chi: “homens e mulheres que adotaram o islam”, 8/108-109.




                      Previous article                       Next article




Bookmark and Share


أضف تعليق

You need the following programs: الحجم : 2.26 ميجا الحجم : 19.8 ميجا