TODOS ESTÃO PERDIDOS A NÃO SER AQUELES A QUEM EU GUIAR (PARTE 1 DE 2): O QUE É UM HADITH QUDSI?

Article translated to : Español English Français Deutsch

Essa semana começaremos uma pequena série de artigos sobre um dos ditos tradicionais do profeta Muhammad, que Deus o exalte. Na segunda parte focaremos na grande necessidade que a humanidade tem de Deus, enquanto reconhecemos que Deus não precisa de nós, de nossas orações ou de nossa lembrança Dele. Ele é Todo-Poderoso. Entretanto, antes que possamos compreender essa verdade infalível devemos estar certos sobre as fontes de conhecimento no Islã e compreendê-las. Essa compreensão significa que somos capazes de discutir tópicos imensos e importantes de forma abrangente. O conhecimento no Islã é derivado do Alcorão e das tradições autênticas do profeta Muhammad, conhecida como aSunnah.


O Alcorão às vezes chamado de Alcorão Sagrado ou Nobre Alcorão é a escritura divina ou texto sagrado da religião do Islã. Os muçulmanos acreditam que seja a palavra literal de Deus como revelada ao mensageiro final de Deus, Muhammad. Esse website contém vários artigos sobre o Alcorão para aqueles que desejam informação mais aprofundada. A Sunnah se refere a três coisas: as ações, afirmações e aprovações táticas do profeta Muhammad. É derivada das tradições orais, conhecidas comohadith.


Entre todos os milhares de hadith, existem alguns que pertencem a uma categoria especial. São conhecidos como hadith Qudsi. São ditos que o profeta Muhammad atribui a Deus. São a mensagem de Deus para a humanidade, mas nas palavras do profeta Muhammad. Existem mais de 100 hadith Qudsi e eles geralmente lidam com assuntos espirituais ou éticos. Um dos mais belos e abrangentes dos hadith Qudsi é o dito a seguir: Transmitido para nós de Deus para o profeta Muhammad e então através de gerações por meio de uma cadeia de narradores autênticos e confiáveis.

"Ó Meus servos, certamente eu proibi a injustiça para Mim, e a proibi entre vós, portanto, não sejais injustos entre vós. Ó Meus servos, todos estão perdidos (desviados) a não ser aqueles a quem eu guiar. Portanto, busquem minha orientação e Eu os orientarei. Ó Meus servos, todos vós estarão famintos, a não ser aqueles que eu alimentar. Portanto, peçam a Mim a alimentação e Eu os alimentarei. Ó Meus servos, todos vós estarão nus, exceto quem eu vestir, portanto peçam a Mim a vestimenta e Eu os darei de vestir. Ó Meus servos, vós cometeis faltas de dia e de noite, e Eu perdoo todos os pecados, portanto, implorem perdão a Mim e Eu os perdoarei. Ó Meus servos, não Me prejudicarão e nem Me beneficiarão. Ó Meus servos, se o primeiro entre vós e o último, os humanos entre vós e os gênios fossem todos piedosos no coração do mais piedoso entre vós, isto não adicionaria nada ao Meu reino. Ó Meus servos, se o primeiro entre vós e o último, os humanos entre vós e os gênios fossem todos depravados no coração mais libertino e depravado entre vós, isto não diminuiria em nada Meu reino. Ó Meus servos, se o primeiro entre vós e o último, os humanos e os gênios, estivessem num só lugar me rogando, e Eu desse para cada um o seu pedido, não diminuiria isto do que eu possuo a não ser como diminui a agulha quando introduzida no oceano. Ó Meus servos, são só vossas obras que computo e depois as retribuirei. E quem encontrar o bem que agradeça a Allah, e quem encontrar o contrário que não culpe senão a si mesmo."


Deus enfatiza justiça e o Islã condena e proíbe todas as formas de injustiça e opressão. Deus, o Todo-Poderoso, é o Mais Justo, é Dele que toda a justiça emana. Deus tornou a opressão ilícita para Si mesmo e Sua promessa é verdadeira: muitos versículos no Alcorão testemunham isso.

"... porque o teu Senhor não é injusto para com os Seus servos." (Alcorão 41:46)

"Deus jamais deseja a injustiça para a humanidade." (Alcorão 3:108)

"Deus não frustrará ninguém, nem mesmo no equivalente ao peso de um átomo." (Alcorão 4:40)

Deus também tornou a opressão de qualquer tipo ilícita para a humanidade. O Islã nos diz que existem três tipos de opressão ou injustiça. A primeira é a injustiça em relação a Deus, que é a associação de parceiros a Ele. A segunda injustiça é em relação a nós mesmos, que é cometer pecados e a terceira é ser injusto com outros (a humanidade e outras criaturas). O Islã é mais que uma religião, é um código de práticas. Seguir o Islã significa que os direitos concedidos sobre a humanidade por Deus são respeitados e mantidos. O Islã busca a justiça para todas as criaturas, grandes e pequenas.


Nós enviamos Nossos Mensageiros com claros sinais e fizemos descer com eles o Livro e a Balança de modo a estabelecer justiça entre os homens...” (Alcorão 57:25)


Nesse hadith Qudsi Deus começa enfatizando a importância da justiça. Ele condena a opressão e deixa claro que a opressão não é parte dos ensinamentos do Islã, nem é tolerada pelos crentes. Entretanto, Ele não para ali e prossegue dizendo que toda a humanidade está perdida, a não ser aqueles a quem Ele (Deus) escolheu guiar. Pede que sempre que busquemos orientação, a busquemos Dele, porque ela não pode ser obtida em nenhum outro lugar.


Sem orientação estamos perdidos, em busca contínua por conforto. É a dádiva mais preciosa de Deus. Saber disso e entender os conceitos de justiça e perdão inerentes ao Islã nos enriquece e completa. Saber que nosso propósito é adorar Deus nos libera. A orientação capacita uma pessoa a aceitar e ser grata pelas bênçãos que Deus concede a cada segundo todos os dias. A humanidade depende de Deus, mas Deus, entretanto, não precisa da humanidade. Esse hadith detalhado nos dá um entendimento claro de nossa necessidade por Deus. Semana que vem discutiremos esse tópico e aprenderemos que nada acontece sem a permissão de Deus.