1. Articles
  2. Artigos
  3. Abu Bakr, o verídico (parte 1 de 3): O primeiro

Abu Bakr, o verídico (parte 1 de 3): O primeiro

Under category : Artigos
1337 2015/04/13 2022/09/25

"Se tivesse tomado alguém como meu amigo mais próximo, tomaria Abu Bakr, mas ele é meu irmão e companheiro."[1]  Essas são as palavras do profeta Muhammad, que Deus o cubra com louvores, e Abu Bakr era seu companheiro terreno mais próximo.  Abu Bakr era conhecido como As Siddiq (o verídico).  A palavra árabe Siddiq implica mais do que ausência de mentira, indica uma pessoa em estado constante de veracidade.  Alguém que reconhece a verdade e adere a ela.  A palavra Siddiq implica veracidade consigo mesmo, aqueles ao nosso redor e, mais importante, com Deus.  Abu Bakr era esse homem.


O profeta Muhammad mostrava seu grande amor e respeito por Abu Bakr ao associá-lo ao conceito de "amigo mais próximo".  Em árabe a palavra usada é kalil e denota mais que amizade e sim uma proximidade sincera com uma conexão inquebrável.  O profeta Abraão era conhecido como o kalil de Deus e o próprio profeta Muhammad reservou essa palavra para sua relação com Deus, mas sua conexão com Abu Bakr envolvia uma relação especial.


Histórico

Os ditos do profeta Muhammad e a história do Islã nos contam que Abu Bakr nasceu pouco mais de dois anos depois do profeta Muhammad e que ambos nasceram na tribo dos Coraixitas, embora em clãs diferentes.  Abu Bakr nasceu em uma família razoavelmente rica e se estabeleceu como um negociante bem-sucedido.  Era um homem agradável e acessível que tinha uma grande rede social.


Abu Bakr amava conversar e se comunicar com todos ao redor ele e era um especialista em genealogia árabe.  Sabia os nomes e locais das tribos árabes e entendia suas qualidades boas e más.  Foi esse conhecimento que lhe permitiu se misturar facilmente com pessoas muito diversas e exercer grande influência na sociedade de Meca.


Quando o profeta Muhammad casou com sua primeira esposa Khadija, ele e Abu Bakr se tornaram vizinhos e constataram que compartilhavam de muitas características.  Ambos eram comerciantes e conduziam seus negócios com honestidade e integridade.


 Ambos evitavam o vício e corrupção que abundavam na Arábia pré-islâmica e ambos evitavam a idolatria.  Reconheceram-se mutuamente como espíritos afins e desenvolveram uma amizade ao longo da vida.


O primeiro

Abu Bakr As Siddiq foi a primeira pessoa que deu atenção à mensagem do profeta Muhammad e entrou no Islã.  Quando ouviu o profeta Muhammad dizer que não havia nada merecedor de adoração exceto Deus e que ele (Muhammad) era o mensageiro de Deus, Abu Bakr aceitou o Islã sem quaisquer reservas.  Para todos que entraram no Islã ou reacenderam a fé perdida, houve um obstáculo, um momento de hesitação, mas não para Abu Bakr.  A doçura da fé entrou em seu coração e aquele que era conhecido como verídico, reconheceu a verdade.


No início quando a mensagem foi revelada, o profeta Muhammad convidava para o Islã as pessoas ao seu redor em segredo.  Ele sabia que sua mensagem chocaria e assombraria os mecanos que estavam profundamente enraizados na ignorância.  Queria construir um grupo de seguidores que lentamente transmitiria a mensagem, propagando-a em círculos cada vez maiores.  Quando havia 38 muçulmanos, Abu Bakr foi a seu amado amigo profeta Muhammad e disse que queria proclamar a mensagem em público.


O profeta Muhammad recusou, pensando que o número era pequeno para arriscar uma exposição.  Abu Bakr insistiu e continuou mencionando isso a seu companheiro.  Quando o profeta Muhammad recebeu a ordem de Deus para tornar a mensagem pública, ele e Abu Bakr foram até a Caaba (a casa de Deus no centro de Meca).  Abu Bakr se levantou e proclamou em voz alta: "Não há divindade exceto Allah e Muhammad é Seu servo e mensageiro."  Abu Bakr foi o primeiro porta-voz público pelo Islã.


Quando o profeta Muhammad morreu os muçulmanos ficaram devastados, alguns até se recusaram a aceitar a verdade.  Seus corações estavam partidos.  Embora dominado pela dor, Abu Bakr se dirigiu ao povo, louvou e glorificou a Deus e disse: "Quem adorava Muhammad, Muhammad está morto, mas quem adorava a Deus, Deus é eterno e nunca morre."[2]  Então recitou os versículos do Alcorão. 


"(O Muhammad) Verdadeiramente tu morrerás e eles morrerão." (Alcorão 39:30)

"Muhammad não é senão um Mensageiro, a quem outros mensageiros precederam. Porventura, se morresse ou fosse morto, voltaríeis à incredulidade? Mas quem voltar a ela em nada prejudicará Deus; e Deus recompensará os agradecidos." (Alcorão 3:144)


Durante essa grande crise os muçulmanos devastados escolheram Abu Bakr como líder.  Ele foi o primeiro califa (líder dos muçulmanos).


O sobrinho do profeta Muhammad, Ali ibn Abu Talib, louvou Abu Bakr como a primeira pessoa a entrar no Islã e a primeira a realizar boas ações.[3]  No Islã, competir uns com os outros para fazer boas ações não só é aceitável, mas também encorajado.  O profeta Muhammad exortava seus seguidores a se comportarem facilmente nas questões desse mundo, mas competirem entre si em relação à vida eterna no paraíso.  O historiador muçulmano At Tabarani cita o companheiro virtuoso Ibn Abbas dizendo: "Abu Bakr... superou todos os companheiros do profeta Muhammad em devoção e retidão, renúncia dos bens mundanos e confiança em Deus."  Dos ditos do profeta Muhammad aprendemos que Abu Bakr será a primeira pessoa a entrar no paraíso depois dos profetas de Deus.[4]  Abu Bakr - o primeiro!




Notas de rodapé:

[1] Saheeh Al-Bukhari

[2] Saheeh Al-Bukhari

[3] Ali ibn Abu Talib no funeral de Abu Bakr.

[4] Abu Dawood.

Previous article Next article
O Website do Profeta Maomé, O Mensageiro de AláIt's a beautiful day