Os ensinamentos do Profeta sobre as súplicas

  • O Profeta era o que melhor louvava a Allah, swt e tudo o que pronunciava era em louvor a Allah, o Todo-Poderoso. O que fosse ordenado, proibido e legislado para a nação islâmica era, em essência, um tipo de louvor a Allah. Inclusive seu silencio era uma glorificação a Allah, partindo de seu coração. Sua glorificação e louvor a Allah eram inerentes a ele, fazia-o de pé, sentado ou recostado; caminhando ou montado; viajando ou em seu lar.

Seus ensinamentos sobre louvar a Allah durante o dia e a noite

  • Quando chegava a manhã, costumava dizer: “começamos a manhã em estado natural do Islam, ou seja, sendo monoteístas, dentro da religião de nosso Profeta Muhammad e no caminho de nosso pai Ibrahim, um monoteísta inclinado à Verdade, quem não era dos que associavam ninguém a Allah” (Ahmad).
  • Dizia: “Ó Allah, por Ti alcançamos a manhã e por Ti alcançamos a tarde. Por Ti vivemos e por Ti morrermos, ante Ti seremos ressuscitados” (Abu Dawud, Tirmidhi e Ibn Majah).
  • Também disse: “Quando vos alcançar a manhã, digam: ‘a manhã nos chegou e o domínio pertence a Allah, o Senhor dos mundos. Ó Senhor, peço-Te o bem neste dia, o êxito, vitória, luz, Tua bênção e Tua orientação. E busco refúgio em Ti do mal que este (o dia) contém e do mal que o segue’”. Ao chegar a tarde dizia algo similar.
  • Disse: “A melhor súplica para buscar o perdão é dizer: ‘Ó Senhor, Tu és meu Senhor – não há deus senão Tu. Tu me criaste e eu sou Teu servo; mantenho Teu pacto e minha promessa para contigo, tanto quanto me é possível cumpri-la. Busco refúgio em Ti do mal que eu mesmo pratiquei. Reconheço ante Ti meu pecado; perdoa-me. Em verdade, ninguém pode perdoar meus pecados, exceto Tu’. Quem recitar isto pela manhã com fé e morrer no mesmo dia entrará no Paraíso. E quem recitar isso durante a tarde, com fé e morrer nesta noite entrará no Paraíso.” (Bukhari)
  • Também disse: “Quem recitar, todo dia, cem vezes: ‘La ilaaha'ill-Allaahu wahdahu la sharika lahu, lahul-mulku wa lahul-hamdu wa huwa `ala kulli shai'in qadir’ (não há divindade afora Allah, o Único, sem sócios. Sua é a soberania, a Ele pertence todo o louvor e Ele é, sobre todas as coisas, Poderoso) será recompensado com o equivalente a liberar dez escravos, cem boas ações lhe serão registradas e cem más ações serão apagadas. Esse dia será protegido de Shaitan até a noite e ninguém poderá apresentar algo melhor que isso (no Dia do Juízo), exceto aquele que tenha feitos mais obras (boas)” (Bukhari e Muslim).
  • Costumava suplicar pela manhã e pela noite tais súplicas: “Ó Senhor, peço-Te pelo bom juízo neste mundo e na próxima vida. Ó Senhor, peço-Te o perdão e o bom juízo em minha religião, minha vida mundana, minha família e minha propriedade. Ó Senhor, cobre minhas faltas e acalma meus temores. Ó Allah, proteja-me por minha frente, minhas costas, por minha direita e minha esquerda e por cima de mim. Busco refúgio em Tua grandeza de ser tragado pela terra” (Abu Dawud e Ibn Majah).
  • Disse: “não há servo de Allah que recite cada manhã e cada tarde ‘em nome de Allah, com cujo nome nada pode causar dano na terra e nos céus, Ele escuta tudo, sabe tudo’ por três vezes sem obter proteção contra qualquer prejuízo” (Abu Dawud, Ibn Majah e Tirmidhi).
  • Abu Bakr as Siddiq, raa, perguntou: “Ó Mensageiro de Allah, ensina-me o que dizer quando chegar a manhã e quando chegar a tarde”. Ele respondeu: “diga: ó Senhor, Criador dos céus e da terra, Conhecedor do oculto e do manifesto, Senhor, Soberano e Dono de todas as coisas, atesto que não há Deus senão Tu. Busco refúgio do meu próprio mal e do mal de Satanás e seus aliados, do que me prejudique ou prejudique outra pessoa”. O Profeta acrescentou: “diga isso pela manhã, pela tarde e quando vais te deitar” (Abu Dawud e Tirmidhi).

Seus ensinamentos sobre glorificar a Allah quando entrar ou sair de casa[1]

  • Quando saía de sua casa, o Profeta costumava dizer: “bissmillah, tawakkaltu ‘ala Allah” (em nome de Allah, confio em Allah) e acrescentava: “Ó Senhor, busco refúgio em Ti de desviar-me ou desviar alguém, de fazer com que alguém escorregue ou que eu mesmo escorregue, de fazer mal a alguém ou que me façam mal, de comportar-me mal ou de que alguém se comporte mal comigo” (Nasai, Tirmidhi e Ibn Majah).
  • Ensinou também: “Aquele que diz, ao deixar sua casa ‘bissmillah, tawakkaltu ‘ala Allah, la hawla wa la quwata illa billah’ (em nome de Allah, confio em Allah. Não há força e nem poder exceto através de Allah) lhe será dito: ‘tu hás sido guiado, sustentado e protegido e Satanás permanecerá afastado de Ti’” (Abu Dawud e Tirmidhi).
  • Quando costumava sair para a oração do fajr, dizia: “Ó Senhor, dê luz ao meu coração, à minha língua, aos meus ouvidos, aos meus olhos, ilumine-me por trás e pela frente, sobre e sob mim. Ó Allah, ilumine-me!” (Bukhari e Muslim).
  • Dizia: “quando um homem entra em seu lar deve dizer ‘Ó Senhor, peço-te pela melhor entrada e melhor saída. Em nome de Allah entramos e confiamos em Allah, nosso Senhor’. Logo depois deve saudar sua família” (Abu Dawud).

Seus ensinamentos sobre mencionar Allah ao entrar ou sair da mesquita[2]

  • Quando entrava em uma mesquita, o Profeta costumava dizer: “A`udhu billaahil-`adim wa bi-wajhihil-karim wa bi-sultaanihil-qadimi minash-shaitaanir-rajim” (busco refúgio no Grandioso e em Seu nobre semblante e Sua autoridade eterna contra Shaitan, o maldito). Disse: “quando alguém diz isto, Shaitan diz ‘ele está protegido de mim o dia todo’” (Abu Dawud).
  • Também dizia: “quando um de vós entrar na mesquita, que invoque bênçãos sobre o Profeta Muhammad e que diga: ‘Allaahumma iftah li abwaaba rahmatik’ (ó Allah, abra para mim as portas de Tua misericórdia), e ao deixar a mesquita que diga: ‘Allaahumma inni as’aluka min fadhilik’ (ó Senhor, concede-me de Tua abundância)” (Abu Dawud e Ibn Majah).

Seus ensinamentos ao ver a lua crescente[3]

  • Quando via a lua nova em cada mês, o Profeta dizia: “Ó Senhor, faça com que caia sobre nós a prosperidade e a fé, com a paz e o Islam. (Dirigindo-se à lua, dizia) Nosso Senhor e Tu, Senhor, é Allah” (Tirmidhi)

Seus ensinamentos ao espirrar e bocejar[4]

  • Está confirmado que o Profeta ﷺ disse: “Agrada a Allah o espirro e Ele não gosta do bocejo. Portanto, se um dentre vós espirra e louva a Allah, então é dever de quem ouve dizer ‘yarahmuk-Allah’ (que Allah te conceda misericórdia). Sobre o bocejo, este é causado por Shaitan, portanto, se alguém dentre vós venha a bocejar, que o retenha o tanto que puder, pois, quando alguém boceja Shaitan ri dele” (Bukhari e Muslim).
  • Quando o Profeta espirrava, costumava cobrir sua boca com sua mão ou sua roupa, suprimindo o som. (Abu Dawud e Tirmidhi).
  • Quando espirrava e alguem dizia ‘ya rahmuk-Allah’, ele respondia ‘ya rahmuna Allah wa yiakum wa yaghfiru Lana wa lakum’ (que Allah tenha misericórdia de nós e nos perdoe).
  • Disse, também: “quando um de vós espirrar que diga ‘alhamdulillah’ (louvado seja Allah) e que seu irmão ou companheiro, ao escutar o seu louvor, responda ‘ya rahmuk-Allah’(que Allah tenha misericórdia de ti). Então, respondeis ‘yahdikumullahu wa yusslihu baalakum’ (que allah te oriente e melhore sua condição/seus assuntos)” – Bukhari e Muslim.
  • Também dizia: “se um de vós espirrar e louvar a Allah (dizendo alhamdulillah), então que digam ‘ya rahmuk-Allah’, mas se não louvar a Allah, então que não digam nada” (Muslim)
    “Quando alguém espirrar por mais de três vezes, não continuem repetindo as súplicas por ele, senão que digam ‘esse homem tem um resfriado’” (Muslim).
  • Foi narrado que os judeus pretendiam espirrar em sua presença esperando que ele respondesse, dizendo ‘que Allah tenha misericórdia de ti’, mas ele só dizia ‘yahdikumullah wa yuslihi baalakum’ (que Allah te guie e melhore sua condição) – Tirmidhi.

Seus ensinamentos sobre a súplica ao ver uma pessoa aflita[5]

  • Quem vê uma pessoa aflita deve dizer: “Al-hamdu lil-laahilladhi `aafaani mimmabtalaaka bihi wa fadh-dhalani `ala kathirin mimman khalaqa tafdhila” (que o louvor seja para Allah, Quem me fez livre disso com o que te tem provado e me deu a preferência sobre muitos daqueles os quais criou)” – e, então, não será tocado por aquela aflicao, não importa qual seja (Abu Dawud e Tirmidhi).

Seus ensinamentos sobre ouvir o som de um burro ou um galo[6]

  • O Profeta ordenou ao seu povo que, quando ouvissem o zurro de um burro que buscassem refúgio em Allah contra o Shaitan e ao ouvir o canto de um galo que pedissem a Allah de Sua abundância (Bukhari e Muslim).

Seus ensinamentos sobre a ira[7]

  • O Profeta instruiu àqueles que sentissem ira que fizessem o wudhu’, que se sentassem caso estivessem de pé, recostassem-se caso estivessem sentados e que buscassem refúgio em Allah contra o Shaitan.


[1] Zadul Ma’ad (2/235)

[2] Zadul Ma’ad (2/236).

[3] Zadul Ma’ad (2/361).

[4] Zadul Ma’ad (2/371, 397).

[5] Zadul Ma’ad (2/417).

[6] Zadul Ma’ad (2/426).

[7] Zadul Ma’ad (2/423).

Previous article Next article