1. Articles
  2. Artigos
  3. Bondade com os Pais (parte 3 de 3): Mesmo Após a Morte

Bondade com os Pais (parte 3 de 3): Mesmo Após a Morte

Under category : Artigos
1324 2015/06/06 2022/12/01

O Islã é uma religião de justiça e compaixão.  Ensina moralidade e proíbe má conduta.  Foi concedido status especial aos idosos; são tratados com respeito e dignidade.  Os muçulmanos são estimulados a honrá-los e isso é especialmente verdadeiro quando se refere ao tratamento dispensado aos pais.  Embora a morte possa nos levar a qualquer momento, os pais geralmente são idosos e, por isso, requerem cuidados e atenção especiais.  Embora o rigor da velhice possa fazer com que os pais se tornem exigentes, impacientes ou petulantes, um muçulmano continua obrigado a tratá-los com gentileza e cuidar deles com carinho.  Deus vinculou honrar os pais ao mandamento de crer somente Nele.

“Adorai a Deus e não Lhe atribuais parceiros. Tratai com benevolência vossos pais...” (Alcorão 4:36)

Um dos companheiros do Profeta Muhammad perguntou sobre as ações que Deus mais amava.  O Profeta respondeu: a oração oferecida no horário e honrar os pais...  (Saheeh Bukhari)

Os ditos do Profeta Muhammad são ricos em palavras de sabedoria sobre a obrigação de ser respeitoso e bondoso com os pais.  Ouviu-se ele dizer:

“Que ele pereça, que ele pereça, que ele pereça.” Aqueles ao seu redor imediatamente perguntaram a quem ele estava se referindo.  O Profeta Muhammad respondeu: “Aquele cujos pais (um ou ambos) chegam à idade avançada durante sua vida e ele não entra no Paraíso (por causa de sua bondade em relação a eles).” (Saheeh Muslim) 

Respeito com os pais é a chave para os portões do Paraíso.  Ao se ater aos mandamentos de Deus e dar aos pais a afeição e amor devidos a eles, recebemos a recompensa de bênção eterna.

Ações Benéficas

Existem muitas formas dos muçulmanos continuarem a honrar e respeitar seus pais mesmo após a morte deles.   Ele pode orar e suplicar a Deus para que tenha misericórdia com eles; pode pagar débitos mundanos que possam ter acumulado ou débitos com Deus como jejum ou peregrinação (Hajj); e podem também dar caridade no nome deles.  Manter os laços de parentesco e amizade também é uma forma de continuar a mostrar amor e respeito aos pais após a morte deles, e o Islã explica cuidadosamente quais ações da parte dos vivos podem ser benéficas.  O Profeta disse:

“Quando uma pessoa morre todas as ações dela terminam, exceto três: caridade contínua, conhecimento benéfico (que deixou para trás) ou um filho virtuoso que orará por ele.” (At Tirmidhi)

Um homem entre os companheiros perguntou ao Profeta Muhammad:

“Existe algo da bondade devida aos pais que devo apresentar a eles após sua morte?” Ele respondeu: “Sim, quatro coisas: ore e peça perdão para eles. Cumpra as promessas deles. Seja gentil com os amigos deles. E mantenha os laços de parentesco que vêm diretamente deles.” (Ahmad, Abu Dawood & ibn Majah)  

Portanto, entende-se que a gentileza e gratidão que devemos mostrar aos nossos pais devem continuar mesmo após a morte deles.  O Profeta Muhammad também nos falou sobre um homem que alcançou um estágio muito alto no Paraíso.  O homem ficou surpreso e perguntou como havia alcançado essa posição nobre.  Foi informado:

“Porque seu filho orou por seu perdão”. (Ibn Majah)

As Chaves para o Paraíso

A vida no século 21 é agitada e frequentemente somos esmagados por preocupações mundanas; com isso tendemos a esquecer que moral e boas maneiras são uma grande parte do estilo de vida que é o Islã.  Bondade com os pais é uma obrigação e devemos imitar e lembrar o comportamento dos primeiros muçulmanos.  Eles tinham seus pais em alta conta, os amavam e cuidavam deles seguindo os mandamentos de Deus e sabiam que o paraíso realmente repousava aos pés das mães.  Não eram apenas palavras para nossos predecessores; eram as chaves para o paraíso.

Nas narrações do Profeta Muhammad é possível observar o comportamento de Abdullah, o filho de Omar ibn al Khattab.  No caminho para Meca Abdulllah encontrou um beduíno.  O saudou com paz e subiu a montanha que ele estava subindo, dando-lhe o turbante que estava usando em sua cabeça.  Um dos companheiros de Abdullah comentou: “Que Deus o guie, são apenas beduínos e ficam contentes com algo simples.” Abdullah respondeu: “O pai desse homem era um amigo próximo de meu pai e ouvi o Mensageiro de Deus dizer: “A melhor maneira de honrar os pais é o filho manter contato com os amigos de seu pai.”

O Islã reconhece a importância da unidade familiar, e uma relação boa e amorosa entre pais e filhos é essencial.  Depois de Deus nossos pais merecem nossa gratidão e obediência.  Um muçulmano é obrigado a mostrar bondade e misericórdia com seus pais.  Existe apenas uma exceção, se os pais esperarem que seus filhos associem algo a Deus ou façam algo considerado proibido no Islã. Nesse caso o filho não deve obedecer, mas nada remove a obrigação de ser bondoso e respeitador.

Previous article Next article
O Website do Profeta Maomé, O Mensageiro de AláIt's a beautiful day