Conclusão

Nós concluiremos este livro com declarações de duas pessoas que abraçaram o Islam. F. Filweas[1]declara:


“O Ocidente está sofrendo de um grande vazio espiritual que nenhum princípio ou fé poderia preencher e trazer felicidade. Apesar da afluência, e a dita prosperidade econômica, e a satisfação das necessidades físicas das pessoas, o homem ocidental ainda tem um senso de inutilidade de sua vida. Suas perguntas: Por que estou vivo? Para onde estou indo? Por quê? Ninguém ainda lhe deu uma resposta satisfatória. Infelizmente, ele não tem idéia de que este remédio é encontrado na religião correta sobre a qual ele não conhece nada além das dúvidas e concepções erradas. Entretanto, raios de luz começaram a brilhar e começou a surgir a aurora após grupos de ocidentais, mesmo sendo poucos, terem começado a abraçar o Islam e o homem ocidental começou a ver com seus próprios olhos, tanto homens como mulheres aplicando o Islam e vivendo de acordo com seus ensinamentos. Todos os dias algumas pessoas abraçam a verdadeira religião e isso é só um começo...”

Deborah Potter[2]declara:

“O Islam, que é a Lei de Deus, é evidente na natureza ao nosso redor. Montanhas, oceanos, planetas, estrelas movem-se em órbita com a ordem de Allah. Eles estão em um estado de submissão à ordem de Allah, o Criador deles, assim como os personagens de uma história, e para Allah é o melhor exemplo. Eles não falam nem agem exceto com o que o autor decide para eles. Assim, cada átomo neste universo, até os objetos inanimados, está em estado de submissão. Entretanto, os humanos são uma exceção à essa regra, pois Allah lhe concedeu a liberdade de escolher. Ele tem a opção de se submeter à ordem de Allah ou criar suas próprias leis e Religião que desejar. Infelizmente ele escolhe a segunda opção na maioria das vezes. As pessoas na Europa e na América estão abraçando o Islam em grandes números porque eles têm sede de paz interior e segurança espiritual. Ao contrário, mesmo um grande número de Cristãos Orientalistas e padres, que originalmente começaram seu trabalho buscando destruir o Islam e chamar atenção para suas supostas falhas, eles mesmos se tornaram Muçulmanos. Isso é porque a evidência da verdade é decisiva; não há como refutá-la.”

Todo o louvor é apenas para Allah, o Senhor dos Mundos

E que Allah exalte a menção de Seu Profeta e o conceda proteção contra todo e qualquer insulto



[1] Um Oficial Inglês da Marinha Britânica que participou da Primeira e da Segunda Guerra Mundial. Ele foi criado em um ambiente Cristão e a cultura estava profundamente enraizada nele. Apesar disso, ele abraçou o Islam após se deparar com o Nobre Alcorão e várias obras da literatura Islâmica no ano de 1924 d.C. (Tirado do livro “What they say about Islam”, de Imad-ud-Deen Khaleel)

[2] Nascida em 1954 d.C. em Traverse Michigan, ela se graduou na Universidade de Michigan no campo do Jornalismo. (Tirado do livro “What they say about Islam”, de Imad-ud-Deen Khaleel)

Previous article

Articles in the same category