1. Articles
  2. Artigos
  3. Salvação no Islã (parte 3 de 3): Arrependimento

Salvação no Islã (parte 3 de 3): Arrependimento

Under category : Artigos
1474 2014/07/15 2022/10/06

A estrada para a salvação é através de certa crença de que só existe um Deus e que Ele é Perdoador e Misericordioso.  O Islã afirma sem reservas que não há o conceito de pecado original e que Deus não requer um sacrifício de sangue para perdoar a humanidade por seus pecados e transgressões.


"Dize: Ó servos Meus, que se excederam contra si próprios, não desespereis da misericórdia de Deus; certamente, Ele perdoa todos os pecados, porque Ele é o Indulgente, o Misericordiosíssimo." (Alcorão 39:53)


Cometer erros, desobedecer a Deus, esquecer e pecar faz parte da natureza imperfeita da humanidade.  Nenhum ser humano é livre de pecado, não importando o quanto pareça ser bom, e todo ser humano precisa do perdão de Deus.  O Profeta Muhammad, que Deus o exalte, estava bem ciente disso quando falava a seus companheiros.


"Por Aquele em Cuja mão está a minha alma, se não pecassem Deus criaria outro povo que cometesse pecados e pedisse perdão."[1]

"Todo filho de Adão comete erros e o melhor deles é aquele que se arrepende." [2]

Todos somos vulneráveis, todos pecamos e todos precisamos ser perdoados.  Temo uma necessidade inata de nos sentirmos próximos de Deus e Ele em Sua infinita sabedoria facilitou o caminho para o perdão.  O próprio profeta Muhammad experimentou a alegria que vem de se sentir "correto" com seu Senhor. Ele disse: "Por Deus, busco o perdão de Deus e me volto para Ele em arrependimento mais de setenta vezes ao dia." [3]

Deus, o Criador, conhece a humanidade perfeitamente. Conhece nossas imperfeições e limitações e, por isso, prescreveu e deixou a porta aberta para o arrependimento até o sol nascer do ocidente (próximo do Dia do Juízo).


"E voltai, contritos, para vosso Senhor, porque quando o tormento recair sobre vós, não sereis socorridos." (Alcorão 39:54)


"Ó vós que credes! Voltai, sinceramente arrependidos, a Deus; é possível que o vosso Senhor absolva as vossas faltas e vos introduza em jardins, abaixo dos quais correm os rios..." (Alcorão 66:8)


"Ó crentes, voltai-vos todos, arrependidos, a Deus, a fim de que vos salveis!." (Alcorão 24:31)


O arrependimento é fácil e basta se voltar para Deus e pedir Sua misericórdia e perdão.  Na hora mais sombria ou na noite mais longa, Deus espera que todos peçam e se arrependam perante Ele. 

"Deus estende Sua mão à noite para aceitar o arrependimento de quem pecou durante o dia e estende Sua mão durante o dia para aceitar o arrependimento de quem pecou durante a noite (e isso continuará) até o sol nascer do ocidente." [4]


Não existem transgressões tão pequenas ou pecados tão grandes que Deus não tenha misericórdia de quem chama por Ele.  O profeta Muhammad, que Deus o exalte, contou a história de um homem cujos pecados pareciam grandes demais para que tivesse esperança de misericórdia, mas Deus é o mais sábio e mais perdoador.  Até aqueles cujas vidas foram abaladas de forma incomparável e escurecidas pelo pecado, encontram conforto.


"Havia entre o povo anterior um homem que havia matado noventa e nove pessoas. Ele perguntou sobre a pessoa mais sábia da terra e foi direcionado para um eremita. Foi até ele, contou que havia matado noventa e nove pessoas e perguntou se podia ser perdoado. O eremita disse "Não". Então ele o matou, completando cem. Então perguntou sobre a pessoa mais sábia da terra e foi direcionado para um sábio. Contou-lhe que havia matado cem pessoas e perguntou se podia ser perdoado. O sábio disse: "Sim, o que poderia ficar entre você e seu arrependimento? Vá até a cidade tal e tal porque nela há pessoas que adoram a Deus.  Vá e adore com eles e não volte para sua cidade, porque é um mau lugar." O homem partiu, mas quando estava a caminho de lá o anjo da morte chegou e os anjos de misericórdia e os anjos da ira começaram a discutir em relação a ele. Os anjos da misericórdia disseram: "Ele se arrependeu enquanto buscava a Deus." Os anjos da ira disseram: "Ele nunca fez bem algum." Um anjo em forma humana veio até eles e pediram para que decidisse a questão. O anjo disse: "Meçam a distância entre as duas terras (sua cidade natal e a cidade para a qual ele estava indo), e a cidade da qual ele estiver mais próximo é a cidade a qual ele pertence." Mediram a distância e constataram que estava mais próximo da cidade para a qual estava indo e os anjos da misericórdia o levaram." [5]


Em outra versão das tradições do profeta Muhammad, que Deus o exalte, é dito que o homem estava mais próximo à cidade virtuosa pela distância de um palmo e, assim, foi contado como fazendo parte de seu povo.[6]

O arrependimento é essencial para uma pessoa levar uma vida pacífica. A recompensa do arrependimento é uma vida boa e próxima de Deus, cheia de contentamento e paz de espírito.  Entretanto, existem três condições para o arrependimento.  São: abrir mão do pecado, sentir arrependimento permanente por ter cometido o pecado e estar determinado a não retornar ao pecado.  Se essas três condições forem satisfeitas com sinceridade, então Deus perdoará.  Se o pecado estiver relacionado com os direitos de outra pessoa, então há uma quarta condição.  É restaurar, se humanamente possível, os direitos que foram tirados.


A misericórdia e o perdão de Deus são tão abrangentes que Ele continuará perdoando. Se uma pessoa é sincera, Deus a perdoará até o momento em que o estertor da morte alcança a garganta. 


O destacado sábio muçulmano Ibn Kathir disse: "Certamente quando a esperança em continuar vivendo diminui, o anjo da morte vem para coletar a alma. Quando a alma alcança a garganta e é gradualmente retirada, não há mais aceitação de arrependimento.".[7]


O arrependimento genuíno marca a estrada para a salvação.  A salvação é obtida por meio de adoração sincera a Deus.  Não existe nenhum verdadeiro deus exceto Ele, o mais poderoso, o mais Misericordioso, o Compassivo.[8]



Notas de rodapé:

[1] Saheeh Muslim

[2] At Tirmidhi

[3] Saheeh Al-Bukhari

[4] Saheeh Muslim

[5] Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim.

[6] Saheeh Muslim

[7] Tafsir Ibn Kathir, Capítulo 4, verso 18.

[8] Para mais informação sobre o perdão de Deus veja os artigos Aceitando o Islã partes 1 & 2.  (https://www.islamreligion.com/articles/3727/viewall/)

Previous article Next article
O Website do Profeta Maomé, O Mensageiro de AláIt's a beautiful day